Funkeira morre após fazer lipoaspiração em clínica de estética no Rio de Janeiro

0
7

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
Foto: Divulgação
Imagem meramente ilustrativa. 

No ano em que completa 40 anos de lipoaspiração no Brasil, o caso da funkeira e manicure Fernanda Rodrigues, 43 anos, conhecida como Mc Atrevida, que veio a óbito na última quarta-feira em um hospital no Rio de Janeiro, levanta o alerta sobre a necessidade de se buscar um profissional habilitado para a realização de cirurgias plásticas e estéticas. A mulher morreu após complicações de uma lipoaspiração realizada por um médico com registro de ginecologista em uma clínica de estética.

Foto: Divulgação
Fernanda Rodrigues, 43 anos, conhecida como Mc Atrevida.

“As complicações já começam pela escolha do profissional e pelo local onde foi realizado o procedimento. É de fundamental importância buscar um cirurgião plástico qualificado para realizar a lipoaspiração, que apesar de estar ligado à estética, não é algo banal como ir a um salão de beleza. Este é um procedimento cirúrgico e requer todos os protocolos de segurança que intervenções cirúrgicas exigem para a segurança do paciente e evitar intercorrências tais como a realização de exames pré-operatórios e avaliação de saúde para verificar se não há nenhuma comorbidade”, alerta o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica no Espírito Santo (SBCP/ES), Ariosto Santos.

O procedimento realizado pela Mc Atrevida foi a hidrolipo, um tipo de lipoescultura, onde foi retirada gordura das costas da Mc para injetar no bumbum. De acordo com Ariosto este é um procedimento comum, que deve ser feito em ambiente hospitalar e planejado junto com o paciente. “O Conselho Federal de Medicina (CFM) possui uma séria de recomendações para garantir a segurança dos procedimentos. O volume máximo de gordura a ser retirado é uma delas, que não pode ultrapassar 6% do peso do paciente”, explica.

Para verificar se o médico escolhido possui capacitação para cirurgia plástica, Ariosto recomenda que as pessoas verifiquem o nome nos sites dos Conselhos Federal e Regional de Medicina, bem como no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.org.br). Segundo o médico, é um cuidado que pode evitar muita dor de cabeça e até situações mais graves. “Além disso é preciso atenção na escolha do profissional, é fundamental a busca por um local com estrutura para, em caso de eventual intercorrência, o paciente ser atendido e socorrido devidamente”, destaca.

Entenda

Foto: Rocio Fotografia
Presidente da SBCP/ES- Ariosto Santos.

A lipoaspiração é o segundo procedimento de cirurgia plástica estética mais realizado no Brasil e no mundo. O cirurgião destaca que a lipoescultura possui uma grande demanda, no entanto, reforça que antes de cirurgia são avaliadas a condição física do paciente para garantir um bom resultado. “É possível retirar gordura das costas, culotes e até joelhos para colocar no bumbum e deixá-lo com uma forma mais bonita. Antes dessa retirada é preciso avaliar se a pessoa não tem pele flácida para não deixar sobras de pele onde a gordura foi retirada ou se está acima do peso. Sempre explicamos aos pacientes que esse resultado não é permanente, haja vista que o corpo vai absorver essa gordura com o tempo”, explica.

Os relatos da família da Mc Atrevida dão conta que a mulher começou a passar mal já no dia à operação. O presidente da SBCP/ES destaca que o pós-operatório também requer e acompanhamento do cirurgião plástico. “O paciente sai do hospital medicado, com orientações sobre o uso de cinta, já no terceiro ele deve começar os cuidados com drenagem e no cinco dia realizamos a retirada dos pontos, sempre acompanhando de perto a evolução desse paciente a fim de evitar intercorrências”, destaca.



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda