Modelo coloca silicone e perde seio por causa de bactéria; infecção é rara – 21/02/2020

0
80

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.

Durante o programa Superpop, da RedeTV, a modelo Monara Queiroga revelou que perdeu um dos seios por causa de uma infecção hospitalar, depois de colocar prótese de silicone. O caso ocorreu há cerca de três anos.

Segundo a artista, ela sofreu por três meses, entrando em salas de cirurgia e tomando diversos remédios. “Achei que ia morrer. Fiquei com um buraco no seio direito pois a bactéria comia toda a pele, por isso perdi meu seio e tive que ficar um ano sem prótese.”

Wendell Uguetto, cirurgião plástico do Hospital Israelita Albert Einstein e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, reforça que, embora a cirurgia para colocação de próteses seja uma das que oferecem menor risco, é preciso que a paciente tenha cuidados fundamentais desde a escolha do hospital e profissional até o pós-cirúrgico.

Ele explica que a contaminação ocorreu, provavelmente, depois de algum ponto abrir e deixar a prótese exposta. “Isso acontece por causa de uma bactéria altamente patogênica, que é resistente a antibióticos. E como o medicamento chega ao corpo, mas não na prótese, faz com que o quadro clínico só piore”, ressalta.

Assim como ocorreu com a modelo, nesse tipo de caso, o melhor tratamento é a retirada do silicone. “Ela disse que a bactéria comia a pele. Isso é um termo leigo para o que ocorreu. Na verdade, a prótese ficou contaminada e por isso precisou ser retirada”, explica o cirurgião plástico.

Para colocar uma nova prótese, a paciente precisa passar por um processo de recuperação e o médico avalia se é possível fazer um novo implante.

Quais os riscos desse tipo de cirurgia?

Diferentemente de uma lipoaspiração, que tende a ser mais agressiva, fazer implante de silicone nos seios é um tipo de cirurgia de baixo risco. Segundo Uguetto, os problemas mais comuns são infecções, rejeição à prótese e insatisfação com o resultado. “Na minha experiência, cerca de 1% das complicações ocorre por infecção. É mas incomum.”

Por isso ele reforça que, ao procurar um profissional, certifique-se se ele é de fato um cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Além disso, escolha profissionais que realizem cirurgias em hospitais. “Nunca faça em clínicas. Se houver qualquer intercorrência durante a cirurgia, é muito mais fácil tratar de um paciente no ambiente hospitalar”, diz.

E desconfie sempre se o preço estiver muito abaixo do mercado. Normalmente, profissionais que oferecem um grande desconto podem trabalhar com próteses falsas ou de má qualidade aumentando o risco de infecções.

Cuidados pós-operatório

Depois do procedimento é fundamental que a paciente siga todas as orientações médicas. Entre elas temos:

  • Repouso, sem fazer nenhum tipo de esforço;
  • Ficar pelo menos 20 dias sem dirigir;
  • Não levantar os braços e fazer força com eles por pelos menos um mês.



Fonte



Outros sites desenvolvidos pela Lima & Santana Propaganda


Lima & Santana Propaganda