“Querido diário, quero ser saudável”

0
109

Lima & Santana Propaganda, sua agência de publicidade e propaganda em Santos

.
FOTOGRAFIA: Eduardo Martins

Mariana de Oliveira Dias lançou ontem “My Wellness Journey”, um diário para uma vida saudável. O objectivo do livro da consultora de bem-estar é trazer à consciência dos residentes de Macau os hábitos e rotinas que conduzam a uma melhoria dos estilos de vida.

Texto: Catarina Mesquita

Fotografia: Eduardo Martins

Diz ser conhecida como a “Mariana dos sumos” na terra que a viu crescer: Macau. É mãe de três meninas, detentora de uma energia e ambição transbordantes e lança agora um livro que é uma espécie de mão estendida a quem quer ter uma vida mais saudável.

Lançado ontem no Heal Café, na Taipa, o “My Wellness Journey” conta com cerca de 500 páginas com muitos espaços para preencher com reflexões e realizações sobre o estilo de vida que cada um leva. “Decidi fazer este diário porque quando assentamos no papel as nossas ideias estamos a passar para o plano real aquilo que ficaria perdido no mental”, explica a autora e consultora de bem-estar. 

“Desde pequena que sempre adorei manter o meu diário onde ia registando tudo o que se passava. Talvez por isso esta tenha sido a forma que arranjei de motivar as pessoas a iniciarem esta bonita jornada que é a de uma vida mais feliz e saudável”, afirma Mariana. “Aqui as pessoas podem ligar os pontos entre o que comem e o seu estilo de vida. Mais do que um bloco de notas é um objecto do qual as pessoas se podem orgulhar ao verem o caminho que percorreram”.

O livro surge na sequência do seu percurso pelas terapias holísticas, a nutrição à base de plantas e o yoga. Mas nem sempre a sua vida teve estas práticas como pontos cardeais. Há 13 anos que mudou o rumo depois de ter desistido do curso de Direito.

“Cheguei a frequentar Direito alguns anos na faculdade, mas tive de regressar a Macau numa altura em que o meu pai precisava de mais cuidados, especialmente ao nível da alimentação e de mudança do estilo de vida. Percebi então que Direito não era para mim e que o bem-estar de forma holística deveria ser o meu foco”, conta Mariana de O. Dias ao PONTO FINAL.

Estávamos em 2006 quando teve o seu primeiro contacto com o mundo do wellness. Foi recrutada para a maior empresa de yoga de Macau nesse ano. Apesar de ter algum interesse por esta filosofia, Mariana pouco sabia sobre yoga e foi nesse trabalho que a semente da paixão começou a despontar. “Eu trabalhava nas vendas. Sabia vender o produto, mas queria saber mais sobre a prática em si e de que forma isso poderia ajudar as pessoas.”

Durante os três anos que trabalhou nessa empresa e no contacto com os colegas e profissionais percebeu que havia outras formas de tratamento, sem ser só através do yoga. “Comecei então por me inscrever em cursos de anatomia, fisiologia e de gestão de spa que incluía também aromaterapia, entre outras coisas”, explica.

FOTOGRAFIA: Eduardo Martins

QUANDO NÃO É APENAS UMA MASSAGEM

Os tratamentos holísticos e a massagem começaram a ganhar uma nova dimensão na vida da terapeuta. “Eu estava completamente apaixonada pelo poder de cura das massagens, do Reiki e deixei o yoga um bocadinho de parte até porque na altura este não vingava muito em Macau.”

Já com uma nova formação, Mariana de Oliveira Dias teve então a oportunidade de abrir o primeiro spa no Grand Hyatt, no Cotai.

“As minhas tarefas eram muito interessantes porque começava a ter que lidar com equipas maiores e que trabalhavam por turnos. Estava muito entusiasmada apesar de, na altura, ter sido um choque para o meu pai, porque ele é de Direito e eu tinha desistido (do curso) para ir para algo que não tinha boa conotação em Macau, como era o caso com o conceito de spa. Mas foi bom conseguir mudar essa mentalidade”, confessa.

Com mais objectivos em mente, Mariana de O. Dias decidiu dar o passo seguinte: “eu sou muito ambiciosa e não queria estar [no Grand Hyatt] só a dar aulas de yoga ou a formar outros terapeutas, principalmente num espaço em que os clientes iam para as massagens e não davam valor à massagem enquanto terapia, enquanto uma prática holística para as suas vidas. Havia clientes que chegavam a fumar dentro do spa e isso ia contra a minha filosofia.”

Saiu do hotel com a confiança e experiência de poder ter os seus próprios clientes e começar a desenhar os seus próprios programas de bem-estar. Propunha programas de três e quinze dias, até que novas perguntas começaram a surgir: “os clientes perguntavam-me como é que podiam perder mais peso, como poderiam comer melhor. A minha resposta era sincera: eu não tenho curso de nutrição”, conta.

Face à procura no mercado por apoio na área da nutrição, a coach de bem-estar aguçou a curiosidade e tirou o curso de Nutrição online também extensível a atletas, conseguindo assim alargar os seus programas. 

FOTOGRAFIA: Eduardo Martins

Em 2011 foi coordenar o spa onde actualmente opera o hotel Sheraton, pondo todos esses conhecimentos em prática.

“O trabalho envolvia treinar a equipa mas também ligar os componentes do spa, nutrição e fitness. Tinha de haver bastante contacto com as diferentes equipas, desde treinadores a chefes de cozinha. Aí sim era holístico! Criei programas de bem-estar não só para os clientes do hotel – especialmente para os que vinham de Hong Kong e passam fins-de-semana mais prolongados –, mas também para a comunidade de Macau. Havia assim oportunidade para fazer uma espécie de pequenos retiros muito completos.”

Segundo Mariana, a ideia foi bem acolhida e foi assim que surgiram os primeiros programas de detox, de gestão de stress e de bem-estar para crianças em Macau, seminários e palestras na área.

A coach sublinha que ainda existe um grande percurso a percorrer, tanto na oferta de programas holísticos e de bem-estar nos hotéis e resorts locais, como na formação da população de Macau. “Acho que falta educação em Macau no que toca à comida à base de plantas, vegana, bem como sobre os benefícios dos superalimentos. A partir do momento em que haja mais escolha nos restaurantes, que haja mais demonstrações e mais seminários, as pessoas vão ganhar mais interesse.” 

Mariana de O. Dias acrescenta: “É esse um dos meus grandes objectivos: dar mais a Macau. Mostrar que é possível ter uma alimentação saudável com os ingredientes que existem em Macau e o mais aproximado possível do desperdício zero.”

A “MARIANA DOS SUMOS”

Quando estudava Nutrição interessou-se fortemente pela alimentação à base de sumos (em inglês, cold pressed juices) e apercebeu-se que esta era uma tendência que já estava a vingar em Hong Kong e noutras cidades internacionais, mas em Macau não. “Com esta ideia em mente, criei um plano de negócio bem realista para uma das cadeiras do curso e decidi passá-lo à acção”, conta.

Em 2014, as ideias espremeram-se como um sumo e surgiu a Sattva Juicery, uma loja online de sumos naturais sem químicos e açúcares adicionados e cujo nome significa “puro” em hindu. “Em Hong Kong as pessoas diziam-me que eu era a Mariana dos sumos de Macau e pediam-me para abrir uma loja em Hong Kong.”

Apesar de não ter optado por abrir esse negócio na região vizinha, os sumos começaram a fazer parte do seu dia-a-dia e admite que não vive agora sem beber um ou mais sumos por dia. “Hoje, até já escolho os hotéis onde passo férias com base nos menus, e não na piscina ou no ginásio”, diz entre risos.

SUPER PODERES NO FEMININO

Quando Mariana teve a primeira filha, percebeu o quanto a maternidade a incentivava a fazer mais. “De repente percebemos que as crianças imitam tudo o que fazemos, e isso inclui também o que comemos. Por isso, quando a Siena nasceu eu ainda fiquei mais entusiasmada para ter uma vida melhor e para transmitir a outros os meus conhecimentos”, afirma.

Além das capacidades que a maternidade lhe conferiu como mulher, Mariana afirma que as mulheres também têm outros superpoderes. O projecto do livro que agora apresenta foi todo ele feito no feminino, ainda que não tenha sido uma escolha 100 por cento intencional. 

“Para mim o papel das mulheres é cada vez mais fundamental. Temos tanto para dar! Somos inspiradas e fontes de inspiração, e foi interessante verificar que ao longo destes 18 meses de criação do livro, desde a editora à revisora, da paginação à impressão, só contactei com mulheres”, conta a mãe de três meninas.

Para o lançamento do livro, Mariana de O. Dias contou também com o apoio de duas mulheres inspiradoras de Macau: Alyson Lundstrom, responsável pelo restaurante vegetariano Blissful Carrot, e Andreea Apostol, chefe vegana.

“O trabalho em comunidade é muito importante para a mudança. Eu acredito que, entre as mulheres, a dinâmica ‘Tu cais, eu levanto-te’ é essencial”, acrescenta Mariana. 

FOTOGRAFIA: Eduardo Martins

O REGRESSO A MACAU

Por motivos familiares, em 2016 Mariana deixou Macau e mudou-se para Hong Kong, onde viveu três anos e tirou o curso de Raw Vegan Chef. “Foi ali que encontrei pessoas que falam a mesma língua que eu e com quem aprendi muito. Foi uma óptima experiência”.

Em Hong Kong, Mariana juntou-se à equipa da plataforma de vida saudável online Green Queen e criou um plano de alimentação vegan e de zero desperdício. “São receitas que se vão rodando e que vão fazendo as pessoas perceber que é possível ter um estilo de vida mais saudável através do que comem e com um impacto muito mais reduzido no meio ambiente. Montar as receitas foi um jogo interessante para que as pessoas não enjoassem ou não sentissem vontade de desistir”, explica.

Na região administrativa especial vizinha, a consultora de bem-estar começou a dar consultas mais personalizadas e criou planos de alimentação à base de plantas de um, três e seis meses, aos quais os interessados podem ter acesso através da página electrónica marianadeoliveiradias.com.

Actualmente, já de regresso a Macau, Mariana de O. Dias dá continuidade a todos estes projectos, nomeadamente prestando serviços de consultoria a uma empresa de Hong Kong: ajuda-a a desenhar programas de bem-estar para novos hotéis, entre os quais projectos no Cambodja e nas Filipinas a inaugurar em finais de 2022, sempre tendo como mote o bem-estar e as bases para uma vida saudável através da alimentação.

Após três anos fora de Macau, Mariana diz verificar um aumento significativo dos espaços de fitness; porém, no que toca ao aconselhamento personalizado nas áreas de nutrição, essencialmente vegan, o território ainda tem muito trabalho por fazer.

O livro lançado agora em Macau é também uma forma de contribuir para o desenvolvimento desta área na região: “Macau merece uma ferramenta destas”, defende a autora. 

A obra surge em Macau após o seu lançamento oficial em Hong Kong, e depois de Mariana já ter antes lançado três e-books com receitas: é o resultado da jornada da autora, mas também um espaço de aprendizagem e construção por parte de quem o possui. “Há espaços para preencher com todo o registo que vai desde o que se come ao número de horas que se dorme. Será um companheiro.” 

Mariana tem ambição de inspirar mais pessoas com esta obra e com o seu trabalho. E sente que neste momento já conseguiu inspirar as pessoas que a rodeiam, desde o seu pai que foi o “chamamento” para esta mudança no estilo de vida, ao marido “que até açúcar punha no café”, passando por amigos e clientes. 

Diz não se lembrar da última vez que esteve doente graças aos fortes cuidados que tem com a alimentação, ao exercício que faz e a uma parte mais espiritual. Para ela, “dar ao corpo uma nutrição adequada, viver um estilo de vida activo e ter amor próprio, são os ingredientes essenciais para ter uma saúde e uma vida óptimas. A partir do momento em que alguém começa esta jornada de bem-estar é impossível não melhorar e não tentar aperfeiçoar a sua forma de viver a vida”, conclui.

 



Fonte